Category Archives: Justiça e Paz

Dominicanos pela paz

51 ligações e cerca de 65 pessoas participaram no evento realizado no dia 5 de Dezembro pela equipe de Justiça e Paz relativo ao Mês Dominicano para a Paz, este ano dedicado à difícil situação na Ucrânia.

O evento realizado através da plataforma zoom iniciou-se com um cântico apresentado pelo Fr. José Manuel Silva, e uma introdução pelo Promotor de Justiça e Paz da Província frei Rui Grácio e saudação da Presidente do Conselho da Família Dominicana, Aurora Rocha. O Prior Provincial Fr. José Nunes fez uma apresentação sobre a relevância e centralidade da questão da paz no âmbito da missão dominicana. Seguiu-se uma leitura do profeta Isaías pelas Fraternidades Leigas de São Domingos e um Salmo rezado pelas Irmãs de Santa Catarina de Sena. O Evangelho foi proclamado pelas irmãs Missionárias do Rosário.

O frei Vasyl Goral, frade dominicano da nossa província, mas nascido na Ucrânia fez uma muito elucidativa conferência explicando as origens e actual situação na guerra entre a Ucrânia e a Rússia, bem como as questões internas ucranianas e a questão das minorias pró-russas e suas implicações mesmo ao nível das diferentes igrejas cristãs. Os participantes rezaram em comum o Pai-Nosso seguindo-se uma apresentação de uma iniciativa de apoio a quem mais sofre, que são as crianças na Ucrânia, vítimas da guerra e em que os dominicanos ucranianos (frades, irmãs e leigos) estão envolvidos. O evento terminou com uma oração partilhada pelo Movimento Juvenil Dominicano e um cântico final.


Mês Dominicano pela Paz – 2020

 

Tópico: MÊS DOMINICANO DA PAZ
Entrar na reunião Zoom. l~Link: _ t.ly/1MFV
Senha de acesso: 735323

Depois de três anos, o Mês Domnicano pela Paz tornou-se uma parte regular do programa anual da Família Dominicana. No período do Advento 2020, o enfoque será sobre um projecto de crianças dominicanas na Ucrânia.

Desde 2014 e mesmo no meio da escalada da pandemia da COVID-l9, a guerra com a Rússia e os separatistas ainda grassa no regão oriental de Donbass. No entanto, as pessoas em todo o país sentem os impactos da guerra. Os dominicanos estão muito envolvidos em vários processos e projectos que promovem a paz e o acompanhamento das vítimas do conflito. Na busca da paz, os dominicanos na Ucrânia estão a participar em vários projectos para jovens.

Um projecto em particular será o foco do Mês Dominicano pela Paz, para fornecer apoio espiritual e financeiro. Trata-se do Centro St. Martin de Porres em Fastiv, que, há muitos anos, tem vindo a cuidar de crianças socialmente desfavorecidas: órfãos, crianças de rua, crianças doentes e crianças de famílias desfavorecidas. Desde o início das hostilidades na Ucrânia Oriental, o Centro abriu as suas portas a crianças cuja infância foi envenenada pela guerra. Adoptou mais de 220 crianças da zona de combate, e ofereceu-lhes apoio psicológico e espiritual e a oportunidade de recuperarem num ambiente seguro.

O Mês Dominicano para a Paz 2020 começa no Primeiro Domingo do Advento (29 de Novembro), decorre durante todo o mês de Dezembro, e culmina no Dia Mundial da Paz da Igreja, a 1 de Janeiro.


Mês para a Paz – A situação na Ucrânia

 

O Mês Dominicano pela Paz é um evento anual da Família Dominicana, iniciado pelo Mestre da Ordem em 2016, na sequência das celebrações do Jubileu do 800º aniversário da Ordem dos Pregadores, que exigia uma renovação da pregação. No espírito de São Domingos, procura mostrar solidariedade com os homens e mulheres dominicanos que promovem a paz num mundo dilacerado por muitas formas de violência e guerra. Depois de se concentrar na Colômbia em 2017, na República Democrática do Congo em 2018 e na Índia em 2019, o Mês Dominicano pela Paz este ano volta-se para a Europa e apela à solidariedade com a Família Dominicana na Ucrânia.

GUERRA, REPRESSÃO E DESLOCADOS NA UCRÂNIA

Desde Abril de 2014, após a revolução ucraniana, a anexação da Crimeia pela Federação Russa e os protestos de grupos separatistas apoiados pela Rússia que lutam nas regiões de Donetsk e Luhansk do leste da Ucrânia (colectivamente chamados “Donbass”) continuaram. Centenas de cidades e povoações foram ocupadas por tropas lideradas pela Rússia.

Continue a ler


5º aniversário da «Laudato Si»

Enciclica «Laudato si'» disponível em livro electrónico - Opus Dei

Entre 18 e 24 de maio, os representantes leigos dominicanos na Comissão Internacional Dominicana de Justiça e Paz (IDCJP) convidam todos os leigos dominicanos a celebrar o 5º aniversário da encíclica Laudato Si sobre o desafio das mudanças climáticas que ainda está connosco, apesar de toda a atenção estar de momento sobre o coronavírus.

Queridos irmãos e irmãs em São Domingos,

Os leigos que fazem parte da Comissão Internacional de Justiça e Paz Dominicana esperam que esta carta vos encontrem bem, apesar das consequências do Covid-19, que está afectando grande parte do mundo. Confiamos que podemos superar esse desafio com a ajuda de Deus e com a intercessão de São Domingos.

Com esta mensagem, gostaríamos de iniciar e / ou continuar o diálogo entre os leigos dominicanos e propor que todos participássemos de um projecto para comemorar o quinto aniversário da encíclica Laudato Si ‘, parte do magistério do Papa Francisco sobre a «nosso casa comum».

Entre os dias 18 e 24 de maio, a Semana de Laudato Si ‘será comemorada sob a rubrica  «tudo está linterligado». Desejamos participar da celebração de uma encíclica que suscita iniciativas que despertam as pessoas preocupadas com o planeta e que se envolvem em cooperar umas com as outras para evitar a deterioração e destruição do planeta.

Como você pode participar? Cada um de nós, pessoalmente, com as nossas famílias e as nossas comunidades, pode propor acções concretas.

Algumas sugestões:

# ler e reflectir sobre a Encíclica

# rezar e divulgar a oração especialmente preparada

# realizar todos os dias uma acção concreta que contribua para evitar a destruição do planeta e ajude a sua melhoria

# organizar grupos de pessoas para compartilhar as suas preocupações, iniciativas e projectos

# partilhar textos, fotografias, vídeos que estimularão as pessoas a agir

 

Essas são apenas sugestões, mas estaríamos interessados ​​em conhecer os seus projectos, actividades e outras propostas.

Ficaríamos gratos se você divulgasse esta mensagem a outros leigos dominicanos.

Bênçãos,

Maria Teresa Tenti (Teresita) Argentina e Duncan MacLaren, Escócia

trad. GS/Maia/2020


Dezembro, mês dominicano pela paz


Carta à Família Dominicana antes das eleições europeias de Maio de 2019

Carta à Família Dominicana antes das eleições europeias de Maio de 2019

Numa recente reunião de frades Promotores de Justiça, Paz e Integridade da Criação, reflectimos sobre a importancia das próximas eleições ao Parlamento Europeu, tal como fizeram outras Comisssões de Justiça e Paz na Europa. Ao mesmo tempo, decidimos partilhar a nossa preocupação com todos os Promotores de JPIC da nossa região. Para tal, redigimos um texto que lhes foi enviado para receber as suas opiniões. O resultado final é esta carta que apresenta o que a maioria dos Promotores consideramos os desafíos mais importantes para a Europa.

As actuais circunstâncias recordam-nos a responsabilidade da Família Dominicana na hora de propor uma leitura dos sinais dos tempos que contribuam para o bem comum. Queremos sugerir alguns temas fundamentais, que sirvam como ponto de partida para a reflexão nas nossas comunidades e nos nossos apostolados. Apresentamos de forma breve seguindo a metodología de «ver, julgar, agir», e apresentamos no final uma referência a alguns testemunhos da Família Dominicana.

 

Migação, xenofobia e racismo

A migração é um fenómeno complexo do nosso tempo. Em primeiro lugar, convida-nos a tomar consciencia das suas causas:  a injustiça, a violencia e a exploração económica nos países de origem. A migração voluntária, segura, regular e bem geridas contribuiu para o desenvolvimento e o enriquecimento cultural.a abertura ao encontro. Ser fiel ao Evangelho requer uma mudança de mentalidde e estilo de vida e a recusa da xenofobia, da hostilidade e esas formas de racismo que consideram os migrantes como o elemento expiatório dos problemas das nossas sociedades europeias.

O testemunho de Dominique Pire nos sirva de inspiração neste campo.

 

Desigualdades sociais e económicas e justa distribuição dos bens.

Nas nossas sociedades europeias vemos uma crescente desigualdade, exclusão social e económica. O predomínio do capitalismo financeiro neoliberal, baseado na idolotria do dinheiro (cf. Evangelii Gaudium 55), promove uma cultura de desperdicio e gera condições laborais e de vida precárias. Neste contexto, especialmente as mulheres são vítimas de exploração, discriminação e violencia.

Tal situação convida-nos a retormar a pregação dos profetas contidas no Ensino Social da Igreja sobre as relações justas e trabalho decente para cada pessoa.

É um convite a mostrar solidariedade com aqueles que sofrem, a propor modelos económicos e laborais alternativos que protejam os direitos sociais e a promover leis que reconheçam tais direitos.

O testemunho de Giorgio La Pira inspira-nos nesta tarefa.

 

Políticas familiares e protecção da vida

Vemos que as políticas familiares são geralmente inadequadas quando se trata de promover taxas de natalidade mais altas, a educação dos filhos, o cuidado dos doentes e dos mais velhos e o apoio à conciliação da vida de trabalho e familiar.

Esta situação recorda-nos que Jesus não via cada pessoa como um «objecto», mas como um «sujeito». Jesus viveu acolhendo a todos e entregando a sua vida para a nossa salvação.

O seu acolhimento e entrega convida-nos a desenvolver políticas que promovam o cuidado, o dom de si mesmo, a solidariedade e a promoção da vida humana em todas as suas fases.

O testemunho de muitas irmãs dominicanas em todo o mundo comprometidas com o cuidado dos mais débeis inspira toda a a Família Dominicana.

 

A crise da democracia e os populismos

Observamos uma crise geral da democracia constitucional. Os populismos promovem formas de nacionalismo excluente e, por vezes, manipulam a fé cristã ou os direitos humanos, ao mesmo tempo que propõem soluções simplistas a problemas complexos.

Esta situação leva-nos a colocar em prática o chamamento de Jesus à fraternidade universal. Também nos convida a abordar os conflitos com verdade, buscando formas de reconciliação, a viver a misericórdia e a descobrir a nossa identidade não em oposição a outras.

O testemunho do Beato Pierre Claverie inspira-nos neste compromisso

 

Crise ecológica

Estamos conscientes de que estamos a viver uma crise ecológica que ameaça o futuro do nosso planeta e as gerações futuras. A contaminação ambiental, as alterações climáticas e a exploração excessiva dos recursos naturais tem um profundo impacto na saúde das populações e na integridade da Criação.

Esta situação convida-nos a acolher a mensagem da Bíblia sobre a Criação e a conhecer melhor o convite à acção que encontramos na encíclica Laudato si. De um modo particular, a chamada à conversão ecológica e a protecção da nossa Casa comum.

Também nos convida a repensar os nossos estilos de consumo e a tomar medidas concretas para alcançar os objectivos da Agenda 2030 da ONU (17 Objectivos de desenvolvimento sustentável).

O testemunho da Delegação da Família Dominicana na ONU em Genebra e Nova York e o trabalho dos nossos irmãos e irmãs na Amazónia e outras regiões do mundo, inspiram-nos diante destes desafíos.

 

Pensamos que a nossa reflexão deveria desenvolver estes elementos, para a renovação de «uma Europa capaz de dar luz a um novo humanismo baseado em três capacidades:  a capacidade de integração, a capacidade de diálogo e a capacidade de criar» (Papa Francisco, discurso pronunciado na Conferencia do prémio Carlomagno, 6 de Maio de 2016)..

 

Fr. Xabier Gómez op, Promotor Regional de JPIC-Europa

Fr. Alessandro Cortesi op, Promotor de JPIC, Provincia Santa Catalina de Siena (Italia)

Fr. Ivan Attard op, Promotor de JPIC, Provincia de Malta

 

Madrid, 1 de Fevereiro de 2019.

 

Trad GS/04/19


Oração pela Europa


Mês Dominicano para a Paz


MÊS DOMINICANO PARA A PAZ – Dezembro 2018

 

Recursos:

Folheto:  inglêsespanholfrancês

Labirinto: inglêsespanholfrancês


Mês Dominicano para a Paz – Carta do Mestre-Geral