Author Archives: Gabriel Silva

Irmã Maria Domingos (1936-2021)

Do site Retalhos da vida de um frade, do fr. Fiipe Rodrigues, retiramos o seguinte texto referente à Irª Maria Domingos:

«Faleceu hoje, na sequência do Covid, a Irmã Maria Domingos, monja dominicana, fundadora do Mosteiro do Lumiar, encerrado há poucos anos. A Ir. Maria Domingos nasceu a 26 de Fevereiro de 1936. Ingressou no mosteiro de Fátima, onde fez o seu noviciado como monja dominicana. De lá partiu para o Porto, para o mosteiro dominicano que então havia lá. Em 1982, juntamente com outras irmãs, depois de terem passado algum tempo em Prouille (primeiro mosteiro da Ordem) fundam o mosteiro do Lumiar, propriedade que pertencia aos frades dominicanos irlandeses. A Ir. Maria Domingos distinguiu-se sempre pela sua forma de estar na Igreja e no mundo: simplicidade, humildade, discrição e muita alegria. Prioresa durante alguns mandatos foi sempre a alma do mosteiro, abrindo as suas portas e portões às várias pessoas e grupos que viam no mosteiro um lugar de acolhimento e de paz. Como a beleza está muito ligada à simplicidade, juntamente com as irmãs da sua comunidade cuidaram sempre, muito e bem, do exterior e do interior do mosteiro. Ensinaram-nos que a beleza está nos pequenos gestos, que o acolhimento é sempre mais belo que a recusa, que há mais alegria em dar do que em receber, que ser contemplativo é um acto de união com Deus e com as pessoas. Aquela comunidade foi um sinal do que significa viver do trabalho: os doces que fabricavam, os livros que vendiam, as conferências que promoviam, a arte que disponibilizavam fez delas uma verdadeira casa de pregação. A Ordem Dominicana deve-lhe muito e nós, dominicanos, também muito lhe devemos. Acreditamos que quando morremos voltamos para junto de Deus. Para nós, dominicanos, é mesmo ver face-a-face Aquele que contemplámos e pregámos. Que agora, junto de Deus, viva na alegria que não tem fim».


405 – Laicado Dominicano Janeiro/Fevereiro 2021


Textos e documentos referentes ao Laicado Dominicano (1982-2020)

 


Oração do Jubileu


Abertura do Jubileu em Bolonha

Palavras de Frei Gerard Timoner OP, Mestre da Ordem em Bolonha, 06/ 01/ 2021

Acabamos de celebrar a Eucaristia, o sacramento de ação de graças a Deus pela graça da sua Epifania, a sua revelação como “Lumen Gentium”: Luz das nações. De maneira especial agradecemos a Deus por ter doado a nós São Domingos, o fundador e primeiro frade da Ordem dos Pregadores, que nós chamamos com devoção “Lumen Eclesiae”: luz da Igreja. Celebramos com simplicidade, nesta Epifania, a manifestação do amor e da solicitude do Senhor para com São Domingos e para com a Família Dominicana, há mais de oitocentos anos.

O primeiro elemento que Deus criou foi a luz e é maravilhoso o fato de como o movimento de muitas criaturas está influenciado pela luz. Os cientistas chamam este movimento de “fototaxia”, quer dizer: o movimento que se orienta na direção de uma fonte de luz. A fototaxia é positiva quando um organismo, vegetal ou animal, se orienta na direção da luz. Temos fototaxia negativa quando se afasta da luz.

São Domingos é “lumen Eclesiae” porque toda a sua vida se orientou na direção de Cristo, “Lumen Gentium”. Como luz, São Domingos pode ser comparado com a lua, mais do que com o sol. Jesus é a única Luz verdadeira do mundo e como todos nós, batizados em Cristo, São Domingos simplesmente reflete a luz de Cristo. Este é o que os Padres da Igreja chamam de “ministério lunar”, que consiste em refletir a Luz de Cristo, assim como a lua reflete a luz do sol.

Sabemos que a intensidade de luminosidade da luz da lua depende da sua posição com relação ao sol. A intensidade da luz que temos depende, sobretudo, do nosso relacionamento com Cristo. São Domingos é “lumen Eclesiae” porque toda a sua vida está orientada e exposta a Cristo. Nada tem nele que bloqueie a luz que vêm de Cristo, e por causa disso, Domingos reflete esta luz de maneira mais completa e luminosa.

Hoje celebramos a abertura do Jubileu do nascimento para a vida eterna de São Domingos, “lumen Eclesiae”. Em nome da Ordem Dominicana, agradeço sua eminência o cardeal Matteo Zuppi, por ter presidido a celebração desta Eucaristia. Agradeço também pelo apoio constante e total que vem dando para a celebração deste Jubileu e pela sua amizade e proximidade com os dominicanos.

Agradeço também as autoridades civis e religiosas e todas as pessoas que colaboraram para preparar e animar esta Liturgia. Agradeço a Frei Fausto Arici, Prior Provincial da Província São Domingos na Itália, Frei David Pedone, Prior deste Convento, no qual descansam os restos mortais de São Domingos e a todos os frades que organizaram esta celebração. Agradeço a Frei Philip Wagner, Presidente do Comitê para o Jubileu, por ter organizado a celebração jubilar nestes tempos incomuns. Agradeço a Frei Bruno Cadoré, que encaminhou esta preparação junto com Frei Gianni Festa, Postulador Geral da Ordem.

Obrigado a todos vocês queridos irmãos e irmãs. Meus votos de uma boa celebração do Ano Jubilar!

Frei Gerard Timoner OP

(via Justiça e Paz OP-Brasil)


Abertura do Ano Jubilar em Roma

A cerimónia de abertura do Ano Jubilar por ocasião dos 800 anos de falecimento de São Domingos de Gusmão (1221-2021), pode ser acompanhada directamente da Basílica de São Domingos, em Bolonha, através desta ligação a partir das 19.00 em Portugal:

v


Mensagem de Natal do Mestre da Ordem

4º Domingo do Advento

Roma, 20 de Dezembro de 2020

Prot. 50/20/614 Cartas à Ordem

 

 

Caros irmãos e irmãs,

O Natal, seja numa época de pandemia ou de prosperidade, é uma celebração da proximidade impenetrável de Deus que habita com e entre nós; uma acção de graças ao nosso Deus generoso que se dá a si próprio como presente.

Este ano do Senhor 2020 é verdadeiramente inesperado, sem precedentes, inesquecível. A maioria de nós celebrou o Tríduo da Páscoa, confinado dentro de portas trancadas; os nossos corações cheios de ansiedade sobre um futuro incerto. Mas depois, virámos os nossos pensamentos e pusemos os olhos da nossa fé para o nosso Senhor Ressuscitado que entra por portas trancadas, cumprimenta-nos com a sua paz e desafia-nos a não ter medo. Continue a ler


Dominicanos pela paz

51 ligações e cerca de 65 pessoas participaram no evento realizado no dia 5 de Dezembro pela equipe de Justiça e Paz relativo ao Mês Dominicano para a Paz, este ano dedicado à difícil situação na Ucrânia.

O evento realizado através da plataforma zoom iniciou-se com um cântico apresentado pelo Fr. José Manuel Silva, e uma introdução pelo Promotor de Justiça e Paz da Província frei Rui Grácio e saudação da Presidente do Conselho da Família Dominicana, Aurora Rocha. O Prior Provincial Fr. José Nunes fez uma apresentação sobre a relevância e centralidade da questão da paz no âmbito da missão dominicana. Seguiu-se uma leitura do profeta Isaías pelas Fraternidades Leigas de São Domingos e um Salmo rezado pelas Irmãs de Santa Catarina de Sena. O Evangelho foi proclamado pelas irmãs Missionárias do Rosário.

O frei Vasyl Goral, frade dominicano da nossa província, mas nascido na Ucrânia fez uma muito elucidativa conferência explicando as origens e actual situação na guerra entre a Ucrânia e a Rússia, bem como as questões internas ucranianas e a questão das minorias pró-russas e suas implicações mesmo ao nível das diferentes igrejas cristãs. Os participantes rezaram em comum o Pai-Nosso seguindo-se uma apresentação de uma iniciativa de apoio a quem mais sofre, que são as crianças na Ucrânia, vítimas da guerra e em que os dominicanos ucranianos (frades, irmãs e leigos) estão envolvidos. O evento terminou com uma oração partilhada pelo Movimento Juvenil Dominicano e um cântico final.


Convite

A Comunidade das monjas da Nossa Senhora da Eucaristia, em Lamego, faz participar aos nossos amigos , benfeitores e irmãs na religião da missa de Acção de graças das nossas duas irmãs: Madre Vitória e Irmã Conceição, apesar das circunstâncias difíceis que nos envolvem. estamos todos unidos em Cristo:  No dia 8 de Dezembro pelas 8:30 no período da manhã.

Ir. Maria da Glória OP


Lançamento de livro de Fr. Gonçalo Diniz

 
 
O Fr, Gonçalo Diniz, actual Prior do Convento do Porto, defendeu com êxito, o ano passado, a sua tese de doutoramento. Ela foi agora publicada pela Universidade Católica, com o título «O clamor do não-homem», e o lançamento público será on-line, dia 3 de Dezembro, às 18h. O Professor da UCP Jorge Cunha fará a apresentação do livro.
 
Os interessados em participar no evento de lançamento poderão inscrever-se aqui.
 
Fr. José Nunes op.