15 de Novembro – Alberto Magno

Alberto nasceu em Lauingen (na Baviera) por volta de 1206. Foi a Itália para estudar, primeiro em Bolonha, depois em Veneza e finalmente em Pádua, onde conheceu o Bem-Aventurado Jordão da Saxónia e dele recebeu, em 1223, o hábito da Ordem, malgrado a oposição da sua família. Voltando à Alemanha, em 1228 ensina em Colónia. Mais tarde em Hildesheim, Friburgo, Ratisbona, Estrasburgo e Paris, em 1244, onde teve o seu discípulo mais célebre Tomás de Aquino.

Aos estudantes da Universidade de Paris, frei Alberto explicou com  espírito universal uma nova ciência: a física aristotélica, segundo a interpretação de autores judeus e árabes. Em 1248 foi regente no Studium Generale de Colónia, recentemente instituído, para onde foi também Tomás de Aquino.

Depois de haver desempenhado diversos ofícios, foi eleito provincial da Teutónia (1254-1257). Em 1256 foi a Roma para defender, juntamente com o franciscano São Boaventura, o direito das Ordens mendicantes a ensinar nas universidades, contra Guilherme de Saint-Amour e outros.

Em 1260 foi consagrado bispo de Ratisbona, porém renunciou ao cargo dois anos depois e voltou a dedicar-se ao estudo e ao ensino em várias cidades, como Wurzburgo, Estrasburgo, Lyon (onde participou no Concílio ali realizado em 1274) e provavelmente em Paris, para terminar em Colónia.

Alberto uniu admiravelmente a sabedoria dos santos com a ciência humana, brilhou em alto grau por os seus escrito e ensino, resplandeceu ainda mais pela integridade de vida e pela sua caridade pastoral. Distinguiu-se também pela sua extraordinária piedade para com o sacramento da Eucaristia e a Virgem Maria, Mãe de Deus, que, segundo a tradição, o animou e esclareceu a perseverar no propósito sagrado.

Deixou insignes obras de teologia e de outras ciências, merecendo ser chamado de «Magno» e «doutor universal». É a personificação mais perfeita – junto com Tomás de Aquino – do ideal dominicano. Ataca o erro, prevenindo-o e enfrentando-o. Busca a síntese de todos os conhecimentos, busca a verdade em todas as ciências humanas e divinas.

Faleceu em Colónia a 15 de Novembro de 1280. Já em 1459 Pio II enumerou Alberto entre os santos doutores da Igreja. Foi beatificado por Gregório XV, e, 1622, e canonizado por Pio XI em 16 de Dezembro de 1931. Pio XII, em 1941 declarou-o padroeiro dos que se dedicam ás ciências naturais.

in: Próprio dos Ofícios da Ordem dos Pregadores, 1998

Imagem: Friedrich Walther (1440-1494) Sermão de São Alberto Magno, Metropolitan Museum of Arts, Nova York, NY, EUA

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: